Acessibilidade: A+ A() A-

 Notícias  Fique por dentro das novidades na CAESA

Serviços de água e esgoto são debatidos no Conjunto Habitacional São José

Por: Clauriana Costa - 08/03/2017 - 11:11:17

Dúvidas dos moradores sobre os serviços de água e esgoto foram esclarecidas pela equipe da Caesa.

Dúvidas dos moradores sobre os serviços de água e esgoto foram esclarecidas pela equipe da Caesa.

Moradores do Conjunto Habitacional São José reunira-se na noite de terça-feira, 7, com as equipes da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) e Coordenadoria de Habitação de Macapá para debater sobre a prestação dos serviços de água e esgoto no condomínio.

 

Em interação com os moradores, a equipe da Caesa respondeu perguntas e esclareceu dúvidas em relação a assuntos diversos. “Uma de nossas principais pautas foi em relação à tarifa de consumo de água e esgoto. Esclarecemos que está em estudo pelo Conselho de Administração da Companhia uma tarifa especial para conjuntos habitacionais”, informou Valdinei Amanajás, diretor-presidente da Caesa.

 

Amanajás pontuou que, atualmente, em acordo com a Prefeitura de Macapá, os moradores do conjunto São José realizam o pagamento de uma tarifa social. “Está sendo cobrado o valor de 35 reais, porém, ainda temos 60% de inadimplentes no conjunto. Informamos aos consumidores que, a partir do dia 10 de março, estaremos realizando o corte da água dos que não cumpriram o pagamento”, alertou.

 

O Conselho de Administração da Caesa está realizando um estudo que avalia o consumo dos serviços de água e esgoto nos conjuntos habitacionais. A tarifa será estimada de acordo com o que for consumido diariamente, número de moradores nos apartamentos, entre outros parâmetros. Até o final de março, o Conselho irá decidir sobre a viabilidade do valor que será cobrado a estes consumidores.

 

Além das tarifas, a Caesa também informou que iniciará o cronograma de ações sobre a conscientização do uso racional da água e a utilização correta do esgoto. “Estamos finalizando nosso calendário para trazermos as ações educativas e disseminarmos informações importantes sobre como utilizar de maneira apropriada nossos serviços. A intenção é conscientizar os moradores que o patrimônio pertence a eles mesmos e necessita de cuidados para que não se deteriore”, finalizou Valdinei Amanajás.

Amapá